sexta-feira, 29 de junho de 2012


Com outros olhos

1

E eu que certa vez cheguei a acreditar no para sempre, pensava que sorrisos eram motivos de alegria e lágrimas de sofrimento. Sim, confesso, me sinto uma tola por dizer, mas imaginava que iria me apaixonar por um cara perfeito e nos teríamos um relacionamento dedar inveja em todos. Pois é, quem diria, senhorita imperfeita acreditava na perfeição. Logo eu, que procuro os defeitos nos mínimos detalhes, que sempre acho uma maneira de dizer que algo está errado.
Confesso que existe uma certa mágica por trás dessas ilusões e pensamentos absurdos, uma mágica que me fazia ver o mundo de uma maneira tão simples, tão bonita, onde cada detalhe era verdade, não existia dor, não existiam mentiras e eu continuava a brincar com minha maravilhosa cidade de bonecas.
E o que aconteceu? Eu cresci um pouco, o bastante pra saber o que me faz e bem e o que me faz mal, o que é verdade e o que é mentira, mas não o suficiente pra deixar de errar, pra deixar de acreditar nas minhas fantasias de um mundo melhor. Pois lá no fundo gostaria de que tudo fosse real, e aquela criança que lia contos de fadas e acreditava no pra sempre, ainda mora aqui. Ela vem conversar comigo de vez em quando, deixando minha vida mais colorida, me fazendo enxergar aquelas velhas cores da infância.

1 comentários:

Isabela Gomes disse...

Seus textos são muito bons, ta de parabéns!

Postar um comentário