quinta-feira, 7 de julho de 2011


Como em todas as historias de amor

2


Pra mim aquele tipo de amor era inaceitável, não estava acostumada a acreditar que as pessoas pudessem depender tanto umas das outras mais o amor dela me causava angustia, pena e ao mesmo tempo me dava vontade de amar. Ela podia ter todos os defeitos e todas as qualidades de uma pessoa qualquer mais seu pior defeito era também sua melhor qualidade, sua forma de amar, eu olhava para aquela cena onde seus olhos imploravam por uma segunda chance e pediam que ele nunca a abandonasse, se ele fosse embora seria como se uma doença incurável que se espalha rapidamente pelo corpo tomasse conta dela e não existiria remédio que fizesse sua dor diminuir. Nunca me importei muito com historias de amor, sempre tive medo de chegar a situações extremas onde eu já não me veria mais caminhado só pela minha estrada e não conseguisse mais andar sozinha a partir daquele dia, mas percebendo aquele olhar de retribuição que ele olhou para ela como se quisesse dizer “Calma eu estou aqui e você nunca vai me perder” me fez querer amar como nunca amei e me fez perceber que são as imperfeições de um amor que o tornam único e verdadeiro.

2 comentários:

Daieli Letícia disse...

Blog lindo... E textos muito bem escritos, adorei mesmo!
Sucesso sempre.

ABL disse...

Olá Thaisa, seu conto acabou de ser publicado na ABL.
Agradecemos sua participação.

Postar um comentário